quarta-feira, 25 de março de 2015

Análise de rotas TCO 2015 - Troféu Cerrado de Orientação

Olá, estimados orientistas.

Participamos do Troféu Cerrado de Orientação - TCO 2015. Mais um exemplo de que é possível aliar uma boa disputa ao prazer de navegar por belas paisagens. A organização ficou por conta do COSEC, clube que representa a cidade de Cristalina-GO.
O TCO une as Federações de Orientação do Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais, mas conta, também, com a participação de atletas de outros estados.



Apresentações à parte, vamos tratar agora da nossa análise de rota. O mapa abaixo é o da categoria H21E:

Aqui a versão com minhas escolhas:


Minha meta continua sendo atingir um pace (tempo em minutos necessário para percorrer 1 km) médio de 7 min/km numa distância de até 20% acima da distância em linha reta descrita no mapa. Como podem ver, este percurso possuía 7,4 km. Então, meu limite seria 8,9 km. Se arredondarmos para 9 km e considerar o pace de 7 min/km, o tempo total de prova seria de 63 minutos.

Rota do ponto 3 ao ponto 4:

O que planejei: Optei por percorrer as trilhas à esquerda, por ser uma rota segura e por oferecer maior velocidade de progressão.
O que fiz: Segui conforme o planejado. Entretanto, após passar próximo ao ponto 9, passei direto pela trilha (seta) e cheguei a uma cerca. Ali a progressão foi bastante lenta devido ao terreno encharcado e a vegetação mais fechada. Já nas proximidades do ponto 4 passei direto pela ravina, ponto de ataque, e percorri 300m desnecessários, perdendo praticamente 2 minutos.
Como deveria ter feito: A rota planejada, aliada à velocidade de progressão pareceu adequada. Uma alternativa seria tentar uma rota mais reta, tal qual a grande seta à direita da linha reta entre os pontos 3 e 4.

Rota do ponto 5 ao ponto 6:

O que planejei: Seguir pelo lado esquerdo contornando a vegetação mais densa, atacar o ponto a partir da abertura na vegetação e utilizar a área branca "c" como barreira de segurança.
O que fiz: Segui conforme planejado até o ponto de ataque. Entretanto, desci sem efetuar a contagem de passos, desrespeitando o próprio planejamento inicial. Acabei chegando ao local "b" acreditando estar no "a". Notem as semelhanças das áreas brancas. A confusão me fez percorrer 700m desnecessários, perdendo cerca de 8 minutos. Por garantia, tomei como ponto de ataque uma área aberta a qual me permitiu visualizar uma rede elétrica, facilitando o ponto de ataque.
Como deveria ter feito: Seguir conforme o planejado. Ao me afastar em demasiado do ponto, deveria ter atentado para a barreira de segurança em "c", corrigindo a rota rapidamente.

Rota do ponto 14 ao ponto 15:

O que planejei: Seguir conforme seta maior atacando o ponto ao cruzar a trilha mais próxima do ponto. Como barreira de segurança a estrada com cerca após o ponto 15.
O que fiz: Ao cruzar a trilha em "d", confundi o local acreditando estar em "e". Uma contagem de passos evitaria este erro. Azimutei a partir do "e" e acabei por me deslocar rumo ao ponto 16 (acreditando se tratar do ponto 15). A correção custou, no mínimo 200m desnecessários e uma perda de 1 minuto e 30 segundos.
O que deveria ter feito: Seguir estritamente conforme o planejado.

Tempo total da prova: 77 minutos.
Distância total percorrida: 10400m.
Total de distância percorrida nos erros apontados: 1200m.
Tempo total gasto nos erros apontados: 11 minutos e 30 segundos.
Tempo do vencedor da prova: 47 minutos.

Se terminasse a prova em 66 minutos, obteria a sétima colocação.
Os 77 minutos me levaram à penúltima posição (17/18).
Principal lição desta análise: jamais abandone a contagem de passos!

Vale ressaltar que a categoria H21E desta prova contou com a participação de vários militares que estão se preparando para uma seletiva específica. Isso elevou bastante o nível de competitividade.

O álbum de fotos completo pode ser visto clicando aqui.
Os resultados finais estão disponíveis no sítio do COSEC: www.cosec.org.br.

Boas rotas \o/
orientistaemrota