quarta-feira, 26 de março de 2014

Análise I Etapa CODF 2014 - H21E

Olá, orientistas.
Vamos analisar o percurso feito por um dos competidores na H21E do I CODF O competidor fez todo o percurso em 1h52'43”, obtendo a 9a colocação. 27' após o primeiro colocado. O percurso em linha reta possuía 7,9 km, mas foram percorridos 12km.
O equipamento utilizado para registrar o caminho percorrido foi um GPS Tracker iGotu. O software de análise utilizado é o QuickRoute.
Olhando o mapa com a rota percorrida, observam-se três falhas de maior proporção, as quais comprometeram a prova. Vamos avaliar cada uma delas utilizando a seguinte metodologia de análise: responder os questionamentos "o que eu planejei?”; “o que eu fiz?”; "o que eu deveria ter feito?”.


  1. Rota do ponto 3 para o ponto 4:
    1. O que eu planejei: optei em seguir pela estrada à direita do ponto 3, considerando a corrida livre de obstáculos. Depois, utilizar a cerca com estrada (a) como ponto de checagem e depois descer e atacar o ponto, tendo o (b) como ponto de segurança. Possibilidade de visualizar o ponto 5;
    2. O que eu fiz: passei pelo ponto de checagem (a) e ataquei a cerca mais à frente. Com o mato alto, percebi o erro e continuei em direção ao ponto 4. Entretanto, houve dúvida. Retornei ao ponto 5, utilizando a linha aérea como referência. Azimutei em direção ao ponto 4, e de lá retornei conforme planejado.
    3. O que eu deveria ter feito: Ao sair do ponto 3, deveria ter optado pelo lado esquerdo, utilizando as referências (b) como ponto de checagem. De lá, azimutar para o ponto 4.
  2. Rota do ponto 8 para o ponto 9:
    1. O que eu planejei: azimute e distância;
    2. O que eu fiz: azimutei após sair do ponto 8, o que pode ter provocado o desvio da rota correta. Com a perda de referência inicial, busquei a árvore mais cupinzeiro descritas no mapa, sem sucesso. Percebi a estrada mais à direita, entretanto, sem confiança na minha localização, preferi retornar em direção ao ponto 8. Não obtendo sucesso, optei por voltar à estrada e contornar no sentido inverso parte da rota do ponto 7 para o ponto 8, utilizando o cruzamento (h) como ponto de checagem e preparação para atacar o ponto 9;
    3. O que eu deveria ter feito: na saída do ponto 8, utilizar as referências (c) como ponto de checagem, depois azimutar para o ponto 9. Considerar (d), (i) e (e) como margens de segurança, ou me deslocar diretamente a uma delas para, depois, atacar o ponto 9.
  3. Rota do ponto 15 para o ponto 16:
    1. O que eu planejei: seguir ao ponto 18 por meio de uma estrada que dá acesso direto ao ponto.
    2. O que eu fiz: segui pela estrada em sentido direto ao ponto 18;
    3. O que eu deveria ter feito: maior atenção ao definir a rota após marcar o ponto 15. Manter visível na dobratura do mapa o próximo ponto. Pegar a estrada com leve desvio para a direita ao sair do ponto 15, depois atacar o ponto utilizando uma das referências do mapa (arbustos, cupinzeiro+montículo ou vala seca).
Os resultados finais desta etapa estão disponíveis no sítio da FODF. Clique aqui para ver.
Esta análise é pessoal, e passível de erros. Estamos sempre aprendendo. Se você, leitor, tiver algo a comentar, será muito bem-vindo.

Boas rotas \o/
orientistaemrota